Javascript de carregamento do Framework Jquery

Buscar

Total: 68 resultados encontrados.

  • Noroeste segue recebendo melhorias

    Ao percorrer o Noroeste, os moradores têm se deparado com canteiros de obras distribuídos em diversos pontos da região. O motivo são as várias melhorias que o bairro tem recebido graças à recursos da Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) destinados à implantação de infraestrutura no setor habitacional. E a lista só aumenta. Agora, mais um item fará parte desse conjunto: a execução de pavimentação, sinalização e drenagem de estacionamentos públicos. Na SQNW 102, Projeções G e H, serão feitos os três trabalhos, enquanto que na SQNW 104, Projeção I, apenas o de pavimentação.

    Os projetos serão colocados em prática mediante empresa responsável. A Agência, assim como nos planos anteriores, realizará a contratação por meio de edital de licitação. O processo saiu no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) da última quinta-feira (8/10).

    Pavimentação é uma ação que trata de revestir o solo. No caso dos novos estacionamentos, o piso será composto por pavimento intertratavo. Esse modelo nada mais é que um conjunto de blocos de concreto lembram o formato de um quebra-cabeças. O diretor técnico da Terracap, Hamilton Lourenço Filho, explica o motivo da escolha. “A vantagem da utilização desse material é a segurança que ele fornece, visto que não desloca, rotaciona ou translaciona com facilidade”.

    Para proporcionar maior durabilidade ao calçamento, é necessário aderir ao método de drenagem. A ação evita a umidicação do solo ao efetuar escoamento de água utilizando aparelhos, como: canos, valas, túneis e fossos.

    Quanto à sinalização, foram dimensionadas 28 vagas aos estacionamentos. Desse total, oito serão atribuídas ao uso exclusivo. Quatro para idosos e a outra metade para portadores de necessidades especiais.

    Demarcação horizontal e vertical

    Outra demanda para no projeto são as demarcações horizontal e vertical. A primeira visa informar melhor as pessoas e organizar o fluxo da via. Para dar mais eficiência e clareza à mensagem, são utilizadas quatro cores para pintura. Cada uma delas possui uma finalidade. A amarela demarca obstáculos e fluxos de sentidos opostos e espaços proibidos. Já a branca é utilizada para fluxos de mesmo sentido e faixas de pedestres. A vermelha, por sua vez, demarca ciclovias, ciclofaixas, símbolos de farmácias e hospitais. Enquanto a azul é usada para pontuar locais de embarque e desembarque de pessoas com deficiência física.

    Já a demarcação vertical é composta pela fixação de placas com símbolos e legendas, as quais transmitem avisos com objetivos específicos, como, por exemplo, as placas de pare e as que indicam a velocidade da via.​

    Luana Correa, sob a supervisão de Suzana Leite
    Assessoria de Comunicação Social
    Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap)
    Foto: Daniel Santos/ Ascom Terracap
    ascom@terracap.df.org.br

    2020-10-13 19:36:15 - Cartilhas
  • Avenida dos Ipês: obras da W9 avançam após acordo histórico
     
    A aguardada Avenida do Ipês, a via W9 do Setor Noroeste, está saindo do papel, após mais de 16 anos de espera. Isso só é possível graças a acordo histórico da Terracap com os indígenas que viviam no local e ocupavam um trecho da área. Em julho deste ano, eles foram realocados. Para preservar o Santuário dos Pajés, a via teve seu trajeto mudado. A expectativa é que a obra seja entregue até o fim do ano. Cerca de R$ 1,7 mi estão sendo investidos pela agência de desenvolvimento do DF (Terracap).
     
    Uma vez concluída, a W9 permitirá o tráfego de veículos entre o Setor de Transporte Norte (STN) e a DF 040, próximo ao Setor de Recreação Pública Norte (SRPN). A via terá duas pistas com três faixas cada uma.
     
    As mudas dos ipês que dão nome à via já estão sendo preparadas. A ideia é plantar centenas delas nas próximas semanas, ao longo da via.
     
    A obra é resultado de convênio entre a Terracap e a Novacap, que é a executora das obras. Serão construídos 600 metros de via asfáltica. Até o momento, muito já foi feito. Conforme cronograma de obras, é preciso realizar abertura de vias, escavação, terraplenagem, drenagem pluvial, bases em BGS (brita graduada), bocas de lobo, pavimentação asfáltica, sinalização, grama e paisagismo.
     
    O diretor técnico da Terracap, Hamilton Lourenço, explica que está sendo iniciada agora a obra de drenagem. “Essa etapa é o coração da obra, é de extrema importância mas não é tão perceptível pela população, pois fica abaixo da terra. Precisamos realizar um trabalho bem estruturado para evitar alagamentos e inundações”.
     
    Tatielly Diniz
    Assessoria de Comunicação Social
    Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap)
    ascom@terracap.df.org.br
    2020-10-13 19:32:02 - Cartilhas
  • Terracap doa terrenos para combate ao déficit habitacional

     

    Garantir moradia de qualidade para famílias de baixa renda é um dos eixos do programa Moradia Digna. Aliada à política de governo, a Terracap doa terrenos para Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab-DF), responsável pelo projeto. Na última sexta-feira, o presidente da Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap), Izidio Santos, esteve em Samambaia – Quadras 602 e 619, para visitar 9 casas embrionárias construídas em terrenos cedidos pela Agência. As obras estão em processo de finalização e serão entregues pelo programa Moradia Digna.

    Participaram da visita, juntamente ao presidente, o deputado federal Julio Cesar Ribeiro, o deputado distrital Martins Machado, além do administrador regional de Samambaia, Gustavo Aires.

    O trabalho tem sido realizado em virtude da doação direta de lotes por parte da Agência. Todos foram repassados para a Codhab para a implementação dos módulos embriões. Com 44 m², as residências são compostas por sala conjugada com cozinha, banheiro, um quarto e área de serviço externa. De acordo com a gerente de Assistência Técnica da Codhab, Sandra Marinho, “as estruturas também contam com piso, forro, vasos, chuveiros e tanque”.

    Izidio Santos destaca que o projeto é “inovador e que deve se tornar modelo no DF”. Para ele, a iniciativa é mais uma aposta do governador Ibaneis para garantir o Direito à Moradia e acabar com a cultura de invasão de terras públicas. Que, segundo o administrador da cidade, é um ótimo projeto para a comunidade. "A habitação tem ganhado força aqui, com esse projeto embrionário. Já entregamos as residências para algumas famílias e vemos como a vida delas mudou", afirma Gustavo Aires.

    Entenda o programa Moradia Digna

    O projeto, ainda em fase de implantação, visa combater o déficit habitacional que, segundo dados do Governo do Distrito Federal (GDF), atinge cerca de 120 mil famílias brasilienses. Até o momento, 15 entregas já foram feitas. A previsão é de que, até o final deste ano, 94 residências sejam construídas.

    São duas as fases do Moradia Digna. A primeira é distribuir as unidades para famílias em situação de vulnerabilidade socioeconômica e habitacional, a qual já está em andamento. Após essa etapa, será buscado oferecer a esses grupos acesso à assessoria técnica em arquitetura e engenharia. O objetivo é fazer com que a ampliação desses domicílios ocorra de forma consciente, sem risco de insalubridade.

     

    Luana Correa, sob a supervisão de Tatielly Diniz
    Assessoria de Comunicação Social
    Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap)
    ascom@terracap.df.org.br

    2020-09-25 20:15:39 - Cartilhas
  • Terracap licita implantação de energia elétrica no Setor de Múltiplas Atividades do Gama

    A Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) abriu edital de licitação pública para contratação de obras para implantação de energia elétrica no Setor de Múltiplas Atividades, localizado no Gama. O processo saiu no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) desta terça-feira (22/9). Os favorecidos são os Conjuntos S, U, V, W, X e Y.

    Para a escolha da empresa responsável, será realizada licitação presencial, marcada para o dia 20/10, às 10h. Os interessados deverão se apresentar e lançar as propostas. O critério de julgamento será o menor preço.

    O local que receberá a distribuição é a segunda etapa da Área de Desenvolvimento Econômico (ADE) da região. A primeira está em pleno funcionamento e provida de infraestrutura. A instalação, na segunda etapa, atenderá 137 unidades imobiliárias destinadas à utilização de comércio de bens e serviços e industrial.

    Além da aparelhagem, haverá remanejamento de trechos de rede aérea existentes que apresentam interferência com o projeto urbanístico. Com os serviços, as empresas que se instalarem na região poderão instalar maquinários necessários para produção, assim como realizar atividades comuns, como se conectar à internet, por exemplo.

    O sistema de energia elétrica pública é parte integrante de trabalhos como parcelamento do solo urbano, juntamente aos equipamentos de escoamento das águas pluviais, esgotamento sanitário, abastecimento de água potável, iluminação pública e vias de circulação. Todos fazem parte da missão da Agência, em fornecer infraestrutura básica à população.

    Luana Correa, sob a supervisão de Suzana Leite
    Assessoria de Comunicação Social
    Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap)
    Foto: Divulgação
    ascom@terracap.df.org.br

    2020-09-23 17:27:07 - Cartilhas
  • Terracap leva obras de infraestrutura à Samambaia

    Em breve, Samambaia receberá melhorias. A Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) abriu edital para contratação de obras para implantação de infraestrutura de energia elétrica. O processo saiu no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) desta terça-feira (15/9). As áreas beneficiadas são a QD 201 e a QN 307 da região administrativa.

    Para a escolha da empresa responsável, será realizada licitação presencial, marcada para o dia 8/10, às 10h. Os interessados deverão se apresentar e lançar as propostas. O critério de julgamento será o menor preço.

    O projeto será dividido em dois lotes, denominados Lote A e Lote B. O primeiro ficará responsável por atender a QD 201, enquanto o segundo, pela QN 307. De acordo com a assessora da Diretoria Técnica da Terracap, Ana Teresa Fernandes, “o início das obras está previsto para a segunda quinzena de novembro”. Ela ainda reforça que com a execução, os moradores terão acesso à uma distribuição de luz de qualidade.

    Para a aparelhagem, serão utilizados materiais e equipamentos novos. Após a finalização dos procedimentos, haverá recomposição de locais, passeios, meios-fios, gramados e jardins à forma original, caso danificados durante a ação. A obra deve gerar 20 vagas de empregos diretos e indiretos.

    Por se tratarem de trabalhos que mexem com a rede de distribuição de energia elétrica, é possível que haja de desligamento para a prática. Caso necessário, a solicitação será encaminhada ao Centro de Operações da Companhia Energética de Brasília (CEB), com antecedência mínima de 15 dias da data programada.

    Luana Correa, sob a supervisão de Suzana Leite
    Assessoria de Comunicação Social
    Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap)
    Foto: Acacio Pinheiro/Agência Brasília 
    ascom@terracap.df.org.br

    2020-09-16 14:12:03 - Cartilhas
  • Terracap investe na infraestrutura de sete quadras do Noroeste

    Novos projetos serão executados no Noroeste. Desta vez, a Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) lança dois editais de licitação pública para contratação de empresa responsável por obras de infraestrutura: uma viária e outra de energia elétrica. Os processos saíram no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) da última quarta-feira (2/9). O critério de julgamento para a escolha das construtoras será o menor preço.

    As vias que receberão melhorias se encontram nas quadras EC 706/707, RAV 506/507, CLNW 06/07 e SQNW 106 do Setor Habitacional Noroeste. Nelas, serão implantados ramais de drenagem e bocas de lobo, pavimentação, sinalização e meios-fios. Já a instalação da rede de distribuição de luz está destinada aos endereços SQNW 102, projeção G; SQNW 102, projeção H; CLNW 02/03, Lote H; SQNW 104, projeção I; SQNW 305, projeção A; CLNW 08/09, Lote C e CRNW 711, Lote A, do Setor de Habitações Coletivas Noroeste.

    Para a realização dos serviços, serão fornecidos empregos diretos e indiretos. De acordo com a assessora da Diretoria Técnica da Terracap, Ana Teresa Fernandes, “pela nossa conta, baseada em um estudo do BNDES, com alguns ajustes, cada obra vai oferecer em torno de 10 empregos”, comenta. Ela acrescenta que “as ações são parte do compromisso da Agência em conceder infraestrutura básica às áreas de domínio da empresa e, consequentemente, à população”.

    Nas obras viárias, serão utilizadas bocas de lobo em meio-fio vazado e com grelha, seguindo o padrão Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap). Os bueiros receberão a instalação dos respectivos tampões. Aqueles localizados em áreas verdes ou sob calçadas, poderão ter tampão em concreto armado, enquanto os que sob vias de tráfego terão tampões de ferro fundido.

    Em relação à pavimentação, a opção foi por pavimento flexível nos trajetos de tráfego leve, médio e meio pesado. Para que a atividade seja feita, haverá retirada das camadas de terra vegetal, matéria orgânica ou qualquer material impróprio, porventura existentes. Para os estacionamentos, a escolha do piso foi por blocos de concreto intertravado – modelo que remete ao de um quebra-cabeças. Quanto à sinalização dessas áreas, a aplicação ocorrerá de forma completa, inclusive nas vagas de veículos e travessias de pedestres e ciclistas.

    No que se refere à construção de sistema aéreo de eletricidade, será seguido o padrão estabelecido pelas normas técnicas da Companhia Energética de Brasília (CEB). Onde os trabalhos exigirem a interrupção de energia elétrica para a prática, os desligamentos serão programados e encaminhados ao Centro de Operações da CEB, com antecedência mínima de 15 dias.

    Com as duas reformas, os moradores contarão com mais iluminação, acessibilidade e segurança de circulação. E mais investimentos estão por vir. Em breve, outros pontos do Setor Habitacional Noroeste receberão limpeza e nivelamento do solo, bem como plantio de grama; implantação de rede de distribuição de água; e construção de lixeiras subterrâneas.

    Luana Correa, sob a supervisão de Suzana Leite
    Assessoria de Comunicação Social
    Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap)
    Foto: Daniel Santos
    ascom@terracap.df.org.br

    2020-09-04 14:59:43 - Cartilhas
  • Terracap reduz pela metade juros de financiamento de beneficiados em programas de incentivo econômico

    Mais de três mil empresas beneficiadas em programas de desenvolvimento econômico, como o antigo Programa de Apoio ao Empreendimento Produtivo do Distrito Federal (Pró-DF II), que ainda não escrituraram o imóvel, terão juros do financiamento reduzidos pela metade. A taxa, antes de 1% ao mês, passa para 0,5%. A queda nos juros acompanha o percentual cobrado atualmente para os clientes da Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) que adquiriram os lotes em licitação pública.

    Os programas de desenvolvimento econômico lançados no passado disponibilizavam lotes da Terracap a fim de ampliar a capacidade da economia local. Uma vez cumpridas as exigências do programa, as empresas participantes asseguravam desconto na aquisição do imóvel objeto do incentivo. Com o Atestado de Implantação Definitivo (AID) em mãos, o empresário solicita à Agência a compra do terreno. Sobre o valor residual a pagar do imóvel, eram acrescidos os juros de 1% ao mês no financiamento junto à estatal. A partir de agora, serão de 0,5% ao mês.

    Segundo o diretor de Regularização Social e Desenvolvimento Econômico da Terracap, Leonardo Mundim, “a redução da taxa de juros compõe a estratégia da Terracap para estimular a regularização dos empreendimentos beneficiados pelo Pró-DFII e programas anteriores, que ainda não alcançaram a merecida segurança jurídica”, diz. E acrescenta: “É mais uma medida do GDF, cujo resultado será a geração de emprego e renda, pelas empresas que tiverem sua ocupação regularizada e devidamente escriturada.”

    A nova taxa se aplica para as escrituras lavradas a partir de 4 de agosto.

    Entenda

    Para participar do Pró-DF, as empresas submetiam ao Conselho de Gestão do Programa de Apoio ao Empreendimento Produtivo do Distrito Federal (Copep-DF) um Projeto de Viabilidade Técnica e Econômico-Financeira (PVTEF). Uma vez aprovado, a empresa assinava com a Terracap um contrato de Concessão de Direito Real de Uso, com Opção de Compra.

    A concessão do benefício implicava no pagamento mensal à Terracap, por parte do beneficiário, de taxa de ocupação e, após comprovada a implantação definitiva do empreendimento, era feita a venda direta do imóvel à empresa, para pagamento em até 240 meses, porém com juros de 1% ao mês.

    O custo anual dos juros tornou-se oneroso para as empresas, descaracterizando um dos pilares do programa de desenvolvimento, que consiste em incentivar o empreendedorismo mediante condições especiais de acesso ao imóvel.

    Segundo Mundim, “a alteração segue determinação do Decreto nº 41.015, editado pelo governador Ibaneis Rocha em 22/07/2020, e ajudará na retomada do ritmo de escrituração dos imóveis que estava lento por imbróglios jurídicos e operacionais, o que trará benefícios para a economia e também para a Terracap”.

    Para a secretária de Empreendedorismo, Fabiana di Lúcia, a redução das taxas de juros vem como uma medida acertada e necessária à garantia de continuidade e alcance dos objetivos do programa. “Esse cenário de pandemia traz a necessidade de ações governamentais que venham a viabilizar que as empresas tenham condições de continuar desenvolvendo as suas atividades, bem como de honrar os compromissos por elas assumidos”, comenta.

     Desenvolve-DF

    Recentemente, foi regulamentada a Lei 6.468/2019, que reformula do Pró-DF II e que cria o Desenvolve-DF. O novo programa de incentivo econômico inova ao propor uma nova forma de acesso aos terrenos da Terracap, por meio de licitação pública da Concessão de Direito Real de Uso (CDRU). Além disso, traz inúmeras soluções aos empresários já beneficiados em programas anteriores, para que possam regularizar suas pendências junto à Terracap e dar continuidade ao negócio. O modelo também traz uma série de medidas de incremento ao emprego.

    E para atrair investimentos para a cidade, conforme as novas regras, o vencedor da licitação fará jus à CDRU de 5 a 30 anos, renováveis por mais 30. Para tanto, pagará à Terracap uma taxa de retribuição mensal, de 0,20% sobre 80% do valor da avaliação especial da terra nua (piso mínimo na licitação). Essa taxa poderá ser reduzida mediante vários fatores, como o incremento do número de empregos inicialmente previsto e a implementação de projetos de responsabilidade social ou ambiental.

    Suzana Leite
    Assessoria de Comunicação Social
    Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap)
    ascom@terracap.df.org.br

    2020-09-03 13:38:41 - Cartilhas
  • Terracap abre licitação para restauração de praças, quadra poliesportiva e estacionamento no Guar

    A Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) lança, nesta quarta-feira (2/9), edital de licitação pública para contratação de serviços de revitalização de quatro praças, uma quadra poliesportiva e estacionamentos no Polo de Modas do Guará. O processo foi publicado no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF). A previsão de início dos trabalhos é para a primeira quinzena de novembro.

    A licitação está marcada para o dia 1/10, às 10h, e terá formato presencial. As empresas interessadas deverão se apresentar e lançar as propostas. O critério de julgamento será o menor preço.

    Segundo o gerente de engenharia da Diretoria Técnica da Terracap, Carlos Augusto Silva, as obras irão atender a demanda de moradores do Polo de Modas e entorno.

    Serão atendidas a comunidade do Polo de Modas e a região do Guará como um todo, bem como o Bernardo Sayão”, ressalta. Ele ainda explica que o recrutamento se faz necessário porque atualmente as praças da Moda, Central, da Igreja e da Faculdade estão parcialmente ou totalmente debilitadas. O objetivo é manter a qualidade ambiental e urbanística do setor.

    Com as obras, será levada à população mais acessibilidade e espaço lazer. Porém, esses não são os únicos benefícios. Também serão gerados 30 empregos diretos e indiretos para que o projeto seja executado.

    Os serviços serão realizados de acordo com a situação de cada praça. Entre as benfeitorias previstas estão nova pavimentação de concreto, plantação de vegetação rasteira e de médio porte e instalação de novo mobiliário urbano. Os equipamentos já desgastados da quadra poliesportiva também serão substituídos.

     

    Para auxiliar os frequentadores com alguma dificuldade locomotora, como cadeirantes, haverá rampas de acesso e espaço dedicado para jogos de xadrez. Quanto às pessoas com deficiência visual, o piso podotátil de alerta, que são faixas em alto-relevo fixadas no chão, servirá como guia direcional.

    Entre demais melhorias destinadas às praças, estão: uma vegetação nova, em que serão plantadas as árvores símbolo de Brasília (ipês amarelo, branco e roxo, de médio porte); banco de concreto pré-moldado; novo piso; paraciclo, o qual é usado para escorar bicicletas; calçadas; e readequação dos estacionamentos presentes.

    Luana Correa, sob a supervisão de Suzana Leite
    Assessoria de Comunicação Social
    Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap)

    Foto: Daniel Santos
    ascom@terracap.df.org.br

    2020-09-02 18:09:37 - Cartilhas
  • Terracap cede terreno fixo para Festa do Morango em Brazlândia

    Pleito antigo da comunidade rural de Brazlândia, o parque de múltiplas funções anunciado pelo governador Ibaneis Rocha na última Festa do Morango, deve sair em breve. Para isso, nesta sexta-feira (28/8), a Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) entregou o termo de cessão que destina área de 261,2 mil m² para uso da Secretaria da Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural do Distrito Federal (Seagri-DF), com a finalidade de promover a implantação do novo espaço.

    Segundo o diretor de Regularização Social e Desenvolvimento Econômico, Leonardo Mundim, “a Terracap ajustou o termo de cessão, antes conferido para a Administração Regional de Brazlândia, agora com carga para a Secretaria de Agricultura, o que facilitará muito a obtenção de verba para a construção do parque agropecuário pelo GDF”.

    Durante a assinatura do termo, o secretário-adjunto da Seagri, Luciano Mendes, explicou que a pasta já tem parte do projeto do parque elaborado e uma emenda parlamentar federal para a construção de um galpão. “Precisávamos só do ajuste do termo de cessão para abrir licitação que dará início ao empreendimento”, contou.

    Segundo o administrador Regional de Brazlândia, Jesiel Costa Rosa, também presente na reunião, um parque de múltiplas funções, onde possa congregar as festas de Brazlândia, mas outras estruturas que atendam o setor agropecuário, vai ser um ganho enorme para a cidade pra cidade. “Seremos um celeiro de desenvolvimento”, disse.

    Izidio Santos, presidente da Terracap, destacou que o “parque de exposições poderá impulsionar o setor agrícola e a economia local, típico da região de Brazlândia e arredores”.

    Suzana Leite
    Assessoria de Comunicação Social
    Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap)
    ascom@terracap.df.org.br

    2020-08-31 13:19:14 - Cartilhas
  • Terracap dá continuidade em obras de infraestrutura no Noroeste

    A Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) vai investir um total de R$ 100 mil para a realização de obras de pavimentação e sinalização no estacionamento público da SQNW 103, Projeção F, do Setor Habitacional Noroeste. O processo foi publicado no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) desta quinta-feira, 27 de agosto. O prazo para a execução é de 30 dias, contados a partir da data de emissão da ordem de serviço.

    A construtora responsável foi escolhida mediante licitação presencial, ocorrida em julho deste ano. Nela, as companhias credenciadas se apresentaram com os devidos representantes e lançaram as propostas. O critério de julgamento foi o menor preço.

    Segundo o diretor técnico da Terracap, Hamilton Lourenço Filho, por se tratar de um empreendimento da Agência, “a estatal é encarregada pela infraestrutura básica do bairro”. Ele explica que a parte de calçamento receberá pavimento intertravado. Esse modelo de piso nada mais é que um conjunto de blocos de concreto que lembram o formato de um quebra-cabeças. “A vantagem da utilização desse material é a segurança que ele fornece, visto que não desloca, rotaciona ou translaciona com facilidade”, conclui.

    Ainda que os moradores locais sejam os maiores beneficiados a reforma, eles não serão os únicos a ganhar. Serão gerados empregos diretos e indiretos com a aplicação do projeto. De acordo com a Diretoria Técnica da empresa, a proporção é de 3 para 1, respectivamente. O cálculo foi feito com base no estudo “Novas estimativas do modelo de geração de empregos” do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

    A obra faz parte de uma sequência de várias que ainda estão por vir no Noroeste. Em breve, outros pontos da região receberão limpeza e nivelamento do solo, bem como plantio de grama; implantação de rede de distribuição de água; construção de lixeiras subterrâneas, e rede aérea e pavimentação asfáltica, com ramais de drenagem, bocas de lobo e meio-fios.

    A W9

    Outra importante obra que está sendo realizada no bairro, com recursos da Terracap, é a construção da W9. Somente as obras de complementação da via receberão R$ 1,7 milhão em investimentos. A Novacap já finalizou a escavação e o nivelamento da avenida. Na próxima semana, inicia a base em BGS.

    A W9 é a principal avenida no projeto urbanístico do Setor Habitacional Noroeste e uma demanda antiga de moradores da região, assim como um antigo anseio do setor produtivo local. A obra ficou parada desde 2004 aguardando uma conciliação entre os poderes públicos e comunidades indígenas, que ocupavam um trecho da área onde passará a via.

    Uma vez concluída, a W9 permitirá o tráfego de veículos entre o Setor de Transporte Norte (STN) e a DF 040, próximo ao Setor de Recreação Pública Norte (SRPN). A via terá duas pistas com três faixas cada uma.

    Luana Correa, sob a supervisão de Suzana Leite
    Assessoria de Comunicação Social
    Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap)
    ascom@terracap.df.org.br

     

    2020-08-31 13:02:31 - Cartilhas
  • Terracap licita imóveis que atendem do pequeno ao grande investidor em setembro

    A Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) publicou novo Edital de Licitação de Imóveis. São 100 terrenos disponíveis para venda em todo o DF, a grande maioria projeções para a implantação de atividades econômicas diversas, que atendem do pequeno ao grande investidor. O certame, marcado para o dia 1º de setembro, às 9h, permanece de forma virtual. Todo o procedimento licitatório pode ser feito via online. Já os clientes que tiverem interesse de entregar a proposta de compra e o comprovante da caução pessoalmente, ainda contam com a opção do drive-thru.

    O 8º edital do ano traz terrenos singulares. Um deles fica no Centro de Atividades do Lago Norte, região nobre de Brasília. Com área de 36,1 mil m², o imóvel é destinado para construção de unidade hospitalar e possui alto valor agregado. Neste caso, o lote pode ser pago em até 36 meses, com entrada a partir de R$ 2,1 milhões.

    No Sudoeste, por sua vez, há disponível um terreno para uso institucional. No local, por exemplo, podem ser exercidas atividades culturais ou religiosas. O imóvel tem metragem de 1,5 mil m² e entrada a partir de R$ 201,5 mil, também podendo ser parcelando em até três anos.

    Ao todo, a Terracap irá licitar 100 imóveis, em 14 Regiões Administrativas (RA’s) do DF. Águas Claras, Brasília, Ceilândia, Gama, Guará, Samambaia, são algumas opções para quem busca lotes para investir. O download do edital com a lista dos imóveis, endereços, metragens e preços pode ser feito no site da Terracap (www.terracap.df.gov.br).

    Os interessados devem guardar os prazos: caução até dia 31 de agosto e licitação em 1º de setembro. As condições de pagamento, a depender do imóvel escolhido, são: 5% de caução, entrada (com abatimento da caução) e o restante em até 180 meses.

    E o momento de investir em terrenos parece bom para as incorporadoras. Levantamento divulgado nesta semana mostra ótima movimentação do mercado imobiliário durante o mês de junho, alavancando o cenário positivo do primeiro semestre. O Índice de Velocidade de Vendas (IVV) alcançou 11,1% no período e foi considerado o melhor índice do ano.

    Esse segmento também deve ficar de olho no edital da Terracap. Há opções de imóveis para habitação multifamiliar – construção de prédios residenciais – em Águas Claras, por exemplo. Na QS 07, há lote com área de 1,1 mi m². A entrada inicia é de R$ 86,1 mil e 36 meses para pagar.

    Pequenos negócios

    O 8º edital também contempla o pequeno empresário. Em Samambaia, são 33 oportunidades. Na região administrativa, o licitante encontrará lote com metragem de 100 m², cuja entrada é a partir de R$ 6,6 mil. O restante pode ser pago em até 180 meses. De acordo com as definições de uso e ocupação do solo, empresas de todo o setor produtivo podem se instalar nos imóveis.

    Aos 30 anos de existência, Samambaia possui núcleo urbano dinâmico, numeroso e consolidado. Com mais de 250 mil habitantes, a RA tem comércio em expansão, rede pública de escolas e hospitais, além de parque ecológico. A região também é servida por malha viária planejada, que inclui um ramal da Metrô-DF. Tudo isso torna o bairro atrativo para investimentos.

    Nas regiões administrativas do Gama, do Guará e da Ceilândia também há terrenos com preços acessíveis para quem quer expandir ou abrir um novo negócio. Na Ceilândia, são 12 oportunidades. O menor tem metragem de 365 m² e entrada a partir de R$ 17 mil. Já no Gama, são cinco terrenos com tamanhos que variam de 275 m² a 3,5 mil m². Neste caso, as entradas são a partir de R$ 11 mil. No Guará, cidade com poucas unidades e grande procura nas licitações da Terracap, são quatro lotes: o mais em conta, com entrada de R$ 203 mil e metragem de 1,6 mil m².

    Como participar da licitação?

    Alguns cuidados são necessários para participar da licitação. Veja o passo a passo:

    1. Leia atentamente o edital disponível ao site da Terracap;
    2. Escolha o imóvel;
    3. Preencha a proposta de compra – disponível no site da Terracap (https://comprasonline.terracap.df.gov.br/);
    4. Recolha a caução, correspondente a 5% do valor do lote, que funciona como exigência para habilitação na licitação;

    Atenção: O valor deve ser recolhido em uma agência do BRB, mediante depósito identificado, transferência eletrônica (TED) ou pagamento de boleto expedido no site da Terracap, necessariamente em nome do próprio licitante ou pelo seu legítimo procurador até o dia 31 de agosto. A não apresentação da procuração implica em desclassificação automática do licitante. A licitação ocorrerá no dia subsequente, 1/9;

    1. Entregue a proposta. Há duas opções de fazer isto: dirigir-se à Terracap e depositar o documento devidamente preenchido na urna da Comissão de Licitação, no drive-trhu disposto no estacionamento, no dia 1º de setembro, entre 9 e 10h, ou optar pela proposta online, anexando o comprovante de pagamento de caução. Neste caso, a proposta também deve ser enviada eletronicamente no mesmo dia e horário. 
    1. É dever do licitante atentar para todas as cláusulas do edital, em especial a que se refere à possível incidência do pagamento de taxa de Outorga Onerosa de Alteração de Uso (Onalt) ou do Direito de Construir (Odir).

    Para os licitantes preliminarmente classificados, a documentação exigida no edital deve ser entregue por meio da plataforma online, acessando-se o site www.terracap.df.gov.br, no menu Serviços, opção Requerimento Online, ou por meio do endereço eletrônico da Comissão de Licitação: copli@terracap.df.gov.br.

    Suzana Leite
    Assessoria de Comunicação Social
    Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap)
    ascom@terracap.df.org.br 

     

    2020-08-24 13:32:04 - Cartilhas
  • Regularização fundiária de Arniqueira prestes a sair do papel

    A Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) e a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh) estão unindo esforços para que o registro cartorial da regularização fundiária do Setor Habitacional Arniqueira inicie ainda este ano. A proposta é que pelo menos 1,4 mil moradores já possam legalizar os lotes que ocupam via venda direta. A Terracap pretende investir R$ 160 milhões em infraestrutura na região, resolvendo problemas antigos que comprometem a qualidade de vida da população que reside na RA.

    A regularização fundiária de assentamentos irregulares não é simples. É, no entanto, um processo que compreende diversas etapas e demanda o trabalho de inúmeros órgãos públicos, envolvendo aspectos técnicos e urbanísticos, ambientais e sociais e, é claro, a população.

    O Setor Habitacional Arniqueira, com área total de 1.189,60 ha, foi dividido em 9 áreas para fins de urbanização (URBs). Os projetos levaram em conta delimitadores naturais, como córregos – há três na região, bem como as circunscrições cartoriais. Tratam-se das URBs 001/17; 002/17; 003/17; 004/17 005/17; 006/17; 007/17; 008/17; e 011/17.

    “O processo de regularização do Setor Habitacional Arniqueira encontra-se avançado, com duas URBs já aprovadas em Conplan, 005/17 e 001/17, e as demais em execução na Terracap”, explica o diretor Técnico da Terracap Hamilton Lourenço Filho. A primeira URB que está sendo regularizada é a 005/2017 e, segundo Mateus Oliveira, titular da titular da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh), está sendo feita “a quatro mãos”, com a Secretaria e a Terracap trabalhando juntas. Mateus Oliveira destaca que “Há ajustes de projeto a serem feitos, mas estamos alinhados”. Este é o 8º passo dentre todo o processo regularização fundiária. (Veja o passo a passo abaixo)

    Uma vez aprovado, o projeto segue para emissão de decreto governamental. Assim, a Terracap encaminhará a registro cartorial. Criadas as matrículas dos imóveis, a Diretoria de Comercialização da Agência inicia o processo de regularização por meio da venda direta, modalidade em que o ocupante pode exercer o direto de compra do terreno junto à Terracap.

    Somente a URB 005/17 compreende 1.457 lotes, com área que variam entre 77 m² a 2,5 mil m². O projeto é constituído majoritariamente por lotes de uso residencial unifamiliar.

    Importante - O cálculo dos terrenos a ser pago pelos ocupantes leva em consideração o preço de mercado com a dedução da infraestrutura feita pelos moradores ao longo dos anos, bem como a valorização decorrente desta implantação. Os valores de cada lote só serão conhecidos no ato da publicação do edital, convocação pública feita pela Terracap.


    O presidente da Terracap, Izidio Santos, corrobora com a fala do secretário. “O intuito do governo é regularizar o mais rápido possível, para que as pessoas possam ter finalmente o documento em mãos. Porém, não é um processo simples e necessita de muito estudo e planejamento. Esperamos que ainda em 2020 possamos entregar as primeiras escrituras aos moradores da área”.

    Licitação
    Neste mês, a Terracap lançou licitação pública para contratação de empresa para elaborar atualização do projeto de drenagem pluvial da Região Administrativa, elaboração de Plano de Controle Ambiental (PCA), Plano de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD), além de estudo de capacidade de suporte do córrego Vicente Pires e afluentes que cortam o Setor Habitacional (Vereda da Cruz, Vereda Grande e Arniqueira). Finalizado o projeto, será possível licitar as obras de drenagem da RA, extremamente necessárias para toda a população.

    Isso porque a ocupação irregular no local, que inviabilizou o devido planejamento urbanístico e infraestrutura básica necessárias ao correto parcelamento do solo – provocou, nas últimas décadas, sérios impactos ao meio ambiente, em especial às áreas que margeiam os córregos que cortam Arniqueira. Uma das consequências foi a formação de diversas erosões na RA.

    Para especialistas, a equação é simples: o lançamento de águas pluviais de diversos condomínios diretamente nos córregos e até mesmo na vegetação ciliar, sem quaisquer cuidados técnicos e atenção às normas, levaram a erosões e ao escorregamento de taludes das margens dos córregos – um processo natural e com consequências danosas ao meio ambiente e aos corpos hídricos da região.

    Confira o passo a passo resumido da Regularização 
    Pra quem tiver interesse em saber mais como é o processo, é só recorrer ao Portal de Regularização lançado pela Seduh no ano passado (http://www.portaldaregularizacao.seduh.df.gov.br/) e conferir o passo a passo do processo: são 10, ao todo. A Terracap, que promove a venda direta do imóvel, ainda acrescenta mais duas fases ao somatório final.

    1. Documentação de titularidade e caracterização da área de regularização conforme PDOT;

    2. Elaboração do levantamento topográfico planialtimétrico cadastral, que é o levantamento com coordenadas de todos os seus elementos naturais e construídos, que demonstrará as unidades, as construções, o sistema viário, as áreas públicas, os acidentes geográficos e os demais elementos caracterizadores do núcleo a ser regularizado;

    3. Consultas às concessionárias de serviços públicos, que indicarão redes existentes, projetadas, e capacidade de atendimento da população a ser regularizada, caso ainda não haja cobertura dos serviços;

    4. Estudo Preliminar do Projeto Urbanístico, ou Plano de Ocupação, que visa aprovação urbanística para fins de licenciamento ambiental, e que deverá conter a concepção urbanística geral com o sistema viário, os lotes ou projeções, equipamentos públicos, espaços livres, endereçamento, zoneamento de usos e parâmetros, ocupação do solo nos moldes da LUOS, bem como memorial descritivo do projeto de regularização;

    5. Licença de Instalação Corretiva, que consiste na abertura do processo de licenciamento ambiental junto ao órgão competente, no caso o Brasília Ambiental, solicitando a emissão de Termo de Referência que definirá o conteúdo do estudo ambiental de acordo com o tipo de ocupação existente;

    6. Contratação de estudo ambiental e aprovação do mesmo junto ao Brasília Ambiental, para emissão da LI Corretiva;

    7. Aprovação pelo Conselho de Planejamento Territorial e Urbano do Distrito Federal (Conplan);

    8. Elaboração do projeto urbanístico de regularização, que deverá ser analisado pela Seduh até concluírem por sua aprovação; Hoje, Terracap e Seduh estão neste passo.
    9. Emissão de Decreto Governamental com aprovação do projeto urbanístico de regularização;

    10. Elaboração de orçamento e cronograma físico-financeiro, além da proposta de garantia de execução das obras de infraestrutura, ou Declaração de Existência de Infraestrutura e Operação das Concessionárias de Serviço Público e Termo de Verificação de Implantação da Infraestrutura;

    11. Registro cartorial após cumpridas todas as etapas anteriores;

    12. Venda Direta. Lembrando que os valores dos lotes só serão divulgados após todo os estudos.

    Suzana Leite
    Assessoria de Comunicação Social
    Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap)
    ascom@terracap.df.org.br

    Foto: Daniel Santos/Ascom Terracap

    2020-08-18 13:16:18 - Cartilhas
  • Terracap lança nova Campanha de Captação e Fidelização de Clientes

    Os mutuários da Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) interessados em amortizar ou quitar antecipadamente o saldo devedor dos contratos de financiamento imobiliário poderão aderir à nova Campanha de Captação e Fidelização de Clientes da Terracap. Aqueles que abaterem mais de 50% das prestações ou mesmo se decidirem em pagar integralmente o saldo devedor junto à empresa pública, receberão bônus em Certidão de Crédito. Para aderir à campanha, basta acessar o portal: www.terracap.df.gov.br e, na aba “Serviço”, clicar em “Requerimento Online”. Cerca de 3 mil clientes poderão ser beneficiados com a iniciativa.

    O cliente que quitar o financiamento receberá bonificação de até 12% do valor antecipado em forma de Certidão de Crédito. Já quem amortizar o saldo devedor receberá o mesmo percentual de bônus, calculado sobre o montante amortizado. O prêmio será calculado com base no valor dos juros e encargos pagos no contrato. Caso haja atraso nas parcelas, o pagamento poderá ser efetuado, mas a bonificação não será calculada sobre o valor em atraso.

    O prazo de adesão é até as 18h de 28 de agosto. Ao fazer o requerimento no site da Agência, o mutuário deve informar se pretende quitar ou amortizar, no mínimo, 50% do contrato. A confirmação da participação se dará com o pagamento do boleto de quitação/amortização.

    A campanha está limitada à captação do montante de R$ 56,9 milhões, portanto, a classificação dos interessados será feita por ordem cronológica de recebimento do requerimento de adesão, até que se atinja o valor limite estabelecido.

    O bônus

    A Certidão de Crédito poderá ser utilizada para pagamento de até 80% do valor de imóvel adquirido em licitações da Terracap. Praticamente todos os meses, a empresa pública lança editais de licitação de imóveis com oportunidades de lotes – que permitem a implantação de atividades econômicas diversas, como comércio, serviço e indústria, e, ainda, uso residencial – por todo o DF.

    Mas é preciso ficar atento a algumas condições. A Certidão de Crédito não pode ser utilizada como caução ou entrada nas licitações da empresa. Ela tem validade de 24 meses, sem correção, e não poderá ser transferida e nem endossada para terceiros. Além disso, também não pode ser utilizada nas comercializações originárias do programa Pró-DF ou de Venda Direta (regularização fundiária).

    Mais informações

    A Terracap não está realizando atendimentos presenciais. Os serviços da Agência continuam funcionando normalmente por meio do portal da empresa (www.terracap.df.gov.br), do Call Center e da Ouvidoria pelo telefone: 61 3350-2222 e e-mail: sac@terracap.df.gov.br.

    Recentemente, a Agência dispôs à população novo atendimento por meio do chat online. A nova ferramenta pode ser acessada pelo usuário, das 7h às 19h, por meio da opção “Atendimento ao Público” - “Chat Online’’, disponível no canto inferior esquerdo do site da Agência.

    Suzana Leite
    Assessoria de Comunicação Social
    Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap)
    ascom@terracap.df.org.br

    Foto: Daniel Santos/Ascom Terracap

    2020-07-27 20:26:54 - Cartilhas
  • BIOTIC inaugura laboratório permanente com experiências reais do 5G

    O futuro da internet móvel já chegou a Brasília. A BIOTIC S/A inaugurou nesta sexta-feira, 24 de julho, o primeiro ambiente de teste permanente da tecnologia 5G do Brasil. O vice-governador, Paco Britto, foi o primeiro a utilizar o laboratório com equipamentos conectados à rede, realizando conexão com uma fábrica de distribuição e logística em Sorocaba (SP), por meio da realidade virtual. O espaço fica no Parque Tecnológico de Brasília – Biotic, na Granja do Torto, e será aberto ao público com agendamento.

    De acordo com Britto, o caminho trilhado pelo governador Ibaneis Rocha mostrou que o sonho é possível. “Prova disso é que estamos aqui hoje, inaugurando a rede 5G no Parque Tecnológico. Mas que caminho é esse? O da inovação, de transformar Brasília em protagonista da área de tecnologia do País”, disse durante a cerimônia de inauguração. O vice-governador reiterou que a presença da rede 5G “dará ainda mais identidade à capital federal para concretizar a ideia de uma cidade digital, de uma cidade inteligente”.

    No laboratório permanente, os usuários poderão navegar e conhecer a quinta geração da internet, que promete ser até 100 vezes mais rápida do que a rede 4G. Para tanto, há dois smartphones disponíveis aos visitantes. Também no local, conforme testou o vice-governador, o visitante terá uma experiência com a Indústria 4.0 e a IoT (Internet das Coisas). Por meio da realidade virtual, é feita conexão com uma fábrica localizada em São Paulo. Em tempo real, é preciso ver todos os processos do centro que incluem a utilização de robôs para o envio automático de materiais para o armazenamento.

    Aberto ao público e de forma gratuita, as visitas ao local, porém, devem ser agendadas e sob demanda, respeitar as restrições sanitárias impostas pela pandemia do novo coronavírus.

    Durante discurso o presidente da Biotic S/A, Gustavo Dias Henrique, frisou que “O 5G está no debate mundial, porque vai revolucionar todo o ecossistema e a vida das pessoas”. Ele ressaltou que ambientes tecnológicos e inovadores como este, ampliam o estímulo ao desenvolvimento de soluções voltadas à Internet das Coisas e às Smart Cities, tornando Brasília uma cidade cada vez mais inteligente e inovadora.

    “Esse pioneirismo é apenas o primeiro passo para o grande projeto idealizado para o Parque Tecnológico de Brasília – Biotoc. Parabéns pelo ineditismo do espaço inaugurado hoje”, disse o presidente da Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap), Izidio Santos. A BIOTIC S/A é uma subsidiária integra da Terracap criada para a implantação do Parque Tecnológico, com o objetivo de cuidar da gestão, controle e estruturação do empreendimento.

    O 5G

    A tecnologia 5G possibilitará a conexão simultânea de aparelhos, permitindo ao usuário conectar até mil objetos em seu dispositivo móvel. A principal diferença da internet 5G é a menor latência, ou o menor tempo de resposta para transferir um pacote de dados na rede. A latência é diferente da velocidade. O 5G permite uma taxa de transmissão centenas de vezes maior do que a atual, com picos de até 20 Gbps e uma latência (teórica) de até 1 milissegundo - atualmente, com o 4G, a latência está perto de 80 milissegundos.

    A partir disso, em sua máxima potência, o 5G poderá entregar altíssimas velocidades de internet, latência ultrabaixa, maior confiabilidade e disponibilidade, o que aumentará a possibilidade de grandes inovações tecnológicas, conectando carros, casas e eletrodomésticos via internet. A nova rede promete consumir até 90% menos energia do que as redes 4G atuais.

    Leilão

    Os fabricantes de equipamentos e operadoras de telecomunicações avaliam que a licitação do 5G do Brasil será o maior leilão de radiofrequências da história do País e a maior oferta pública de capacidade para a tecnologia móvel de quinta geração no mundo.  Para se ter uma ideia, estimativas mostram que o 5G no Brasil deve movimentar cerca de R$ 1 trilhão em 15 anos no Brasil.

    “Certamente nós teremos o nosso leilão no primeiro trimestre de 2021. Estamos falando em algo que deve impulsionar a economia nos próximos dias e que deve realmente transformar a forma como lidamos com a tecnologia”, disse o secretário de Telecomunicações, do Ministério de Telecomunicações, Vitor Elísio Menezes, também presente no evento de inauguração. E acrescentou: “Não estamos falando de velocidades mais rápidas, mas estamos falando de ferramentas que vão transformar indústrias, que vão transformar os cuidados com a saúde, que vão transformar a segurança pública no País”.

    O laboratório 5G é resultado de uma parceria entre a BIOTIC S/A, com a Huawei e a Telefônica VIVO.

    Suzana Leite
    Assessoria de Comunicação Social
    Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap)
    ascom@terracap.df.org.br

    2020-07-25 01:15:57 - Cartilhas
  • Terracap: empresas do Pro-DF II e de programas de incentivo anteriores já podem regularizar situação

    Cerca de três mil empresas instaladas no DF, beneficiadas por programas de incentivo econômico ao longo das últimas décadas, e que por uma série de motivos se encontram em situação irregular, terão a oportunidade de solucionar as pendências junto ao GDF e à Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap), e dar continuidade ao negócio, voltar a investir e a criar empregos ou mesmo transferir o benefício para outras empresas. Outras centenas de empreendimentos poderão ter acesso aos terrenos de propriedade da Agência, em moldes diferentes dos praticados no passado, agora, por meio de licitação da Concessão de Direito Real de Uso (CDRU) do bem público.

    As possibilidades estão esmiuçadas no texto de regulamentação da Lei 6.468/2019 que reformula o Pró-DF II e cria o Programa de Apoio ao Empreendimento Produtivo, o Desenvolve-DF, publicado no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) desta quinta-feira (23/7). A minuta foi elaborada pela Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap), em parceria com a Secretaria de Estado de Empreendedorismo (Semp).

    A partir da publicação do decreto, as empresas já podem, por exemplo, requerer a regularização do Pró-DF II, em especial pedidos de revogação administrativa, de migração de programas anteriores e de convalidação. O prazo para procurar a Secretaria de Empreendedorismo nestes casos é até 4 de fevereiro de 2021. Aqueles que já possuem contratos assinados com a Terracap, com atestado de implantação definitivo expedido, também podem solicitar à Agência a escrituração dos imóveis.

    "Além da segurança jurídica para quem terá seu empreendimento regularizado, o grande mérito desse decreto do governador é o estímulo estatal à geração de empregos. Vem numa hora ideal, como firme encorajamento para a retomada dos postos de trabalho que foram perdidos na pandemia”, explica o diretor de Regularização Social e Desenvolvimento Econômico da Terracap, Leonardo Mundim.

    O novo modelo funciona assim: para atrair investimentos para a cidade, o Desenvolve-DF colocará à disposição de empreendedores, terrenos de vários tamanhos em Áreas de Desenvolvimento Econômico (ADE’s) e em polos industriais e comerciais. Conforme as novas regras, não haverá mais o direto de compra do bem público. O vencedor da licitação fará jus à Concessão de Direto Real de Uso de 5 a 30 anos, renováveis por mais 30, a qual será registrada na matrícula do imóvel. Para tanto, ele pagará à Terracap uma taxa de ocupação mensal, de 0,20% sobre 80% o valor da avaliação especial da terra nua, o que, na prática, equivale a uma taxa de 0,16% sobre o valor do terreno (piso mínimo na licitação).

    “Este, certamente, será um grande incentivo ao desenvolvimento de todo o Distrito Federal. Toda vez que a Terracap disponibiliza lotes por meio licitatório, seja por meio de venda, seja mediante a concessão de direito real de uso, movimenta a economia com a atração de novas empresas, fomenta investimentos, a criação de novos postos de trabalho, diminuindo o a taxa de desemprego, e melhora a renda da população”, comenta Izidio Santos, presidente da Terracap. O primeiro processo licitatório do Desenvolve-DF está previsto já para o segundo semestre deste ano. A Terracap tem disponível em estoque mais de mil imóveis em Áreas de Desenvolvimento Econômico e polos industriais e comerciais, que podem ser licitados no novo sistema.

    Após a licitação, a empresa vencedora apresenta ao Conselho de Gestão do Programa de Apoio ao Empreendimento Produtivo do DF (Copep) um Projeto de Viabilidade Simplificado (PVS), assumindo o compromisso geração e manutenção de número viável de empregos, vinculados ao imóvel em questão. Mas a taxa de ocupação paga à Terracap poderá ser reduzida para até 0,12%, caso o negócio gere mais postos de trabalho do que a meta prevista inicialmente no PVS, caindo ainda mais em caso de antecipação de pagamento. Medidas de responsabilidade social e ambiental praticadas pela empresa também darão o direto à revisão da cobrança. Micro e pequenas empresas terão descontos adicionais.

    “O texto também prevê o cumprimento solidário de metas de emprego, com admissão da instalação de outras empresas no mesmo imóvel incentivado, e aperfeiçoa o direito ao contraditório e ampla defesa nos processos administrativos perante o Copep”. Mundim também explica que para as dívidas antigas do Pró-DF II, está prevista campanha de renegociação da Terracap, para que a empresa possa, “por suas próprias pernas, se reerguer”.

    Na parte prática, a Secretaria de Empreendedorismo será responsável pelo gerenciamento operacional do Desenvolve-DF que inclui: acompanhar de perto a execução e o cumprimento das regras do programa; realizar vistorias; além de receber as petições; cuidar da gestão dos recursos e de analisar a viabilidade dos projetos para verificar se essas empresas têm condições de aderirem ao programa. Já à Terracap cabe a operação tipicamente imobiliária do programa, bem como redigir e gerenciar os respectivos instrumentos jurídico-imobiliários.

    "Nós trabalhamos arduamente, por mais de um ano, na construção dessa lei, tentando ajudar a resolver situações históricas e desenhar um novo futuro para o desenvolvimento e geração de emprego e renda no Distrito Federal”, afirma a secretária de Empreendedorismo do DF, Fabiana Di Lúcia.

    Perto da solução

    Os milhares de empresários que podem ser beneficiados com a regularização têm histórias a serem solucionadas – com diferentes desfechos, mas passíveis de finais felizes – como a de Claudino José Rocha. Há 20 anos, ele aguarda pela regularização definitiva do seu negócio. Rocha é dono de um autocenter na ADE de Águas Claras e foi beneficiado pelo antigo Programa de Apoio ao Empreendimento Produtivo no Distrito Federal (Pró-DF I), que concedia descontos de até 90% na aquisição definitiva de lotes da Terracap para empreendimentos implantados. Durante as duas décadas, viu seu processo cancelado e ficou muito próximo de fechar as portas da empresa.

    “Coloquei tudo o que tinha aqui. Vendi todos os meus bens. Mesmo assim, quase perdi meu negócio”, conta Rocha. Ele permanece no mesmo imóvel e mantém empregos fixos.

    A partir da publicação do decreto, Rocha poderá recorrer à revogação do cancelamento com migração para o Pró-DF II, para ter continuidade contratual do incentivo. A ideia, neste caso, é alcançar empreendimentos ainda vinculados ao Pró-DF I, cuja lei foi declarada inconstitucional.

    O intuito nessas situações é que não haja interrupção da atividade produtiva. Assim, empreendedores que tiveram seus benefícios cancelados, mas que ainda têm o negócio funcionando e gerando empregos no endereço que fora objeto do incentivo, podem requerer a revogação do cancelamento junto ao Conselho. É necessário, no entanto, que sejam corrigidos os motivos que levaram ao cancelamento do incentivo.

    Estas são algumas das várias soluções que a regulamentação traz ao imbróglio criado com a complexa legislação e excesso de burocracia que foram obstruindo os diversos programas de desenvolvimento econômico adotados no DF desde 1988. Os benefícios foram questionados pelo Ministério Público e pela Justiça em repetidas ocasiões.  Em novembro de 2017, o TCDF suspendeu o Pró-DF II, por desvio de funcionalidade dos imóveis e outras irregularidades e determinou a sua completa reformulação. Já em fevereiro de 2019, o trabalho de construção da reformulação foi iniciado, por determinação do governador Ibaneis Rocha, tão logo assumiu o Executivo local.

    Mundim alerta que o Pró-DF II não está sendo ressuscitado. “Percebemos que não era possível ressuscitar o programa. O que estamos fazendo é colocar o Pró-DF II num quadro em extinção: os contratos já assinados, os projetos já aprovados ou situações já consolidadas serão respeitados, mas todo e qualquer novo pedido de área será enquadrado no Desenvolve-DF, ou seja, no sistema de licitação de Concessão Direito Real de Uso”, sintetiza.

    A QE 40, do Guará II, idealizada para ser um Polo de Modas, abrigando empresas diversas do setor do vestuário do DF, teve parte dos lotes desvirtuados com a especulação imobiliária. Os terrenos beneficiados que deveriam abrigar indústrias, empregos e uma linha de produção, acabaram por se tornar edifícios residenciais. Com a situação hoje consolidada, a solução é que os ocupantes dos apartamentos constituam uma associação ou uma Sociedade de Propósito Específico (SPE) e solicitem à Terracap a inclusão do imóvel em licitação, com direito à preferência de compra. A Agência terá que atender o requerimento no prazo máximo de quatro meses. 

    Outro ponto de inovação no decreto é a redução, em até 60%, na documentação necessária para acessar, permanecer ou avançar no programa Pró-DF II ou no Desenvolve-DF. Antes, por exemplo, a empresa precisava juntar diversas certidões de todos os sócios que tinham acima de 10% do capital social. No novo modelo, precisa juntar algumas certidões essenciais da empresa e apenas dos sócios administradores.

    Segundo Mundim, o decreto significa um avanço histórico, mas ainda pode melhorar. "Estamos lidando com algo novo e arrojado, que é esse sistema de concessões de uso atreladas a metas de geração de emprego, o Desenvolve-DF. É previsível e até recomendável que alguns ajustes sejam feitos depois que o trem estiver nos trilhos", pontua.

    Copep

    Os pedidos do Desenvolve-DF serão analisados pela Secretaria de Empreendedorismo e pelo Conselho de Gestão do Programa de Apoio ao Empreendimento Produtivo do Distrito Federal (Copep). O conselho, por sua vez, também sofrerá mudanças pela nova legislação.

    Foram implementadas novidades determinadas pelo governador Ibaneis Rocha no tocante a órgãos colegiados, como por exemplo, a obrigação de que haja pelo menos 30% de mulheres na composição do Conselho. Além disso, haverá a vedação de que um conselheiro do Copep tenha problemas com a Lei da Ficha Limpa.

    Suzana Leite
    Assessoria de Comunicação Social
    Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap)
    ascom@terracap.df.org.br

    2020-07-23 18:22:20 - Cartilhas
  • Primeiro laboratório de testes 5G do Brasil é inaugurado na capital federal



    A capital federal ganha, nesta sexta-feira, 24 de julho, o primeiro ambiente de teste permanente da tecnologia 5G do Brasil. O laboratório 5G está localizado no Parque Tecnológico de Brasília – BIOTIC. O objetivo é criar uma experiência demonstrativa dos diversos usos da rede 5G, apresentando a tecnologia e a grande mudança que a quinta geração da internet representa em termos de inovação e potencial surgimento de novas soluções e empresas de base tecnológica. No local, o público poderá ter experiências gratuitas com smartphones e com a realidade virtual sob demanda.

    Respeitando os protocolos de segurança em função da pandemia causada pelo novo coronavírus, o evento contará apenas com a presença das autoridades do governo do Distrito Federal e representantes das empresas envolvidas, e será transmitido ao vivo, via internet, às 10h30, por meio do canal do Youtube da BIOTIC S/A e do GDF.

    O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, acredita que a chegada da tecnologia de forma definitiva, abre muitas possibilidades para a consolidação do DF como polo de desenvolvimento de soluções digitais. “O 5G é o futuro. Vai possibilitar a internet das coisas, a conexão ampla e isso terá reflexo imediato na criação de empregos e nas oportunidades para empreendedores. Brasília sai na frente com esse laboratório; quando o sistema for implantado no Brasil já estaremos bem preparados para avançar”, afirma Ibaneis Rocha.

    O presidente da BIOTIC/AS, Gustavo Dias Henrique, explica que o laboratório 5G no BIOTIC irá gerar um imenso valor ao ecossistema de inovação e ao empreendedorismo do Distrito Federal, uma vez que proporcionará experiências reais de como a rede 5G funcionará em sua totalidade quando o leilão ocorrer no Brasil. “Ambientes tecnológicos e inovadores como este, ampliam o estímulo ao desenvolvimento de soluções voltadas à Internet das Coisas e às Smart Cities, tornando Brasília uma cidade cada vez mais inteligente e inovadora”, destacou sobre as experiências que o usuário poderá ter no espaço 5G.

    O laboratório contará com equipamentos conectados à rede 5G em que o usuário poderá navegar e conhecer mais essa rede que promete ser até 100 vezes mais rápida do que a rede 4G. Além disso, será possível realizar uma conexão com uma fábrica de distribuição e logística, utilizando realidade virtual. Isso proporcionará uma experiência com a tecnologia voltada para a Indústria 4.0 e a IoT (Internet das Coisas), onde será possível ver, em tempo real, todos os processos do centro que incluem a utilização de robôs para o envio automático de materiais para o armazenamento. Tudo isso, graças a utilização da tecnologia 5G, que com sua baixa latência, grande largura de banda e conexão massiva, torna possível o aumento da eficiência operacional do armazém em até 50%.

    O presidente da Terracap, Izidio Santos, comenta que o mundo vive um momento delicado na economia causada pela pandemia do novo coronavírus. Para se ter uma ideia, pesquisa divulgada pela Confederação Nacional da Indústria, revela que 83% das empresas precisarão de mais inovação no pós-pandemia. “Esta acabará sendo a única saída de muitas empresas: a inovação. Aí entra essa experiência no laboratório 5G, que proporciona interação com a chamada Indústria 4.0 e outros conceitos como a Internet das Coisas. Tecnologias que certamente poderão trazer desenvolvimento, inteligência aos negócios e aumento significativo de produtividade”.

    A tecnologia 5G

    Diferente do 4G, a tecnologia 5G possibilitará a conexão simultânea de aparelhos, permitindo ao usuário conectar até mil objetos em seu dispositivo móvel. A principal diferença da internet 5G é a menor latência, ou o menor tempo de resposta para transferir um pacote de dados na rede. A latência é diferente da velocidade. O 5G permite uma taxa de transmissão centenas de vezes maior do que a atual, com picos de até 20 Gbps e uma latência (teórica) de até 1 milissegundo - atualmente, com o 4G, a latência está perto de 80 milissegundos.

    A partir disso, em sua máxima potência, o 5G poderá entregar altíssimas velocidades de internet, latência ultrabaixa, maior confiabilidade e disponibilidade, o que aumentará a possibilidade de grandes inovações tecnológicas, conectando carros, casas e eletrodomésticos via internet. A nova rede promete consumir até 90% menos energia do que as redes 4G atuais.

    Agendamento

    O laboratório 5G é um resultado de uma parceria entre a BIOTIC S/A, subsidiária da Terracap, com a Huawei e a Telefônica VIVO e será aberto gratuitamente ao público, com agendamento sob demanda, atendendo a visitas técnicas, eventos, etc., respeitando as restrições sanitárias impostas pelas autoridades de saúde. Os interessados devem entrar em contato com a BIOTIC/SA previamente pelo e-mail bioticsa@bioticsa.com.br.

    Contatos para a imprensa

    Ascom Terracap/Biotic
    (61) 98539-1039
    (61) 99133-3423
    ascom@terracap.df.gov.br

    Suzana Leite
    Assessoria de Comunicação Social
    Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap)

    2020-07-23 18:03:40 - Cartilhas
  • Terracap investe na revitalização de 11 quadras da W3 Sul

    O Conselho de Administração da Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) aprovou, nesta quinta-feira (16/7), convênio que permitirá continuidade à revitalização da W3 Sul. O investimento previsto de R$ 18,8 milhões permitirá devolver à avenida e suas calçadas o movimento vívido do local, marca de Brasília até os anos 1980. O projeto contemplará as quadras 502, 503, 504, 505, 506, 507, 508, 513, 514, 515, e 516.

    O convênio firmado entre a Terracap e a Secretaria de Estado de Obras e Infraestrutura prevê a readequação do sistema viário com estacionamentos, a acessibilidade e paisagismo, além de obras complementares de drenagem e sinalização nas quadras.

    “Na prática, as intervenções, além de organizar o espaço público, irão trazer mais conforto e caminhabilidade aos pedestres, permitindo que a população possa, novamente, ter uma experiência prazerosa de lazer, convivência e consumo, pela via comercial da W3”, antecipa o presidente da Terracap, Izidio Santos.

    As primeiras quadras a receberem as obras de revitalização são as 515/516 sul. A licitação já será próximo dia 18. Um dos destaques do projeto é a recuperação total das calçadas, que passará a ser única com piso igual em toda sua extensão, sem desníveis e totalmente adequada para o trânsito de pessoas.

    “A licitação das quadras 515/516 Sul marca a continuidade do projeto de revitalização deste importante centro comercial da cidade. Nosso cronograma está mantido para que as obras em todas as quadras da W3 sejam iniciadas neste ano”, destaca o Secretário de Obras, Luciano Carvalho. “Todo o Governo está empenhado em dar continuidade ao processo para que possamos recolocar a W3 Sul no papel de importante centro comercial do DF”, acrescenta.

    Prioridade de governo

    Ainda em junho, eram as quadras 509/510 Sul que recebiam as obras de revitalização. Concretagem dos becos entre os blocos, limpezas das pedras portuguesas, piso intertravado, entre outras melhorias foram feitas no local, aproveitando a diminuição do fluxo dos pedestres, com o comércio fechado.  Já as quadras 511 e 512 Sul foram finalizadas ainda no início do ano. 

    As intervenções são resultado de um trabalho conjunto de diversos órgãos do governo local. Cerca de 75% de todo o investimento aplicado nas obras da via W3 são oriundos da Terracap.

    Nova experiência

    Para atrair a população à comercial da W3 e estimular a circulação de pedestres no local, as o projeto previu conforto. A via já tem grande acessibilidade para quem usa transporte público, mas, para aqueles que utilizam veículo próprio, as melhorias começam no estacionamento: haverá organização das vagas, por meio da colocação de novo piso e da demarcação, inclusive para motos, idosos, pessoas com deficiência e áreas de carga e descarga. 

    As quadras 511 e 512 sul, já revitalizadas, ficaram assim: as calçadas têm largura mínima de 2 metros de largura voltadas à W3 Sul, e de 1,2 metro para as que dão acesso às vias laterais. Os passeios voltados à W3 Sul foram divididos em três faixas. A faixa de serviço, mais próxima da pista, foi destinada à instalação de postes de iluminação, paraciclos, lixeiras e vasos de plantas. Nessa área, foi mantido o piso em pedras portuguesas.

    Nas faixas livre e de acesso aos edifícios, por sua vez, o piso foi substituído por concreto. Essa medida garante mais resistência à ação do tempo. Um ponto importante foi a retirada de desníveis ao longo da calçada e a colocação de sinalização tátil para proporcionar uma circulação segura. As travessias (acesso às faixas de pedestres), por sua vez, seguiram as normas de acessibilidade universal, que estabelece inclinação máxima de 8,33% para as rampas.

    Redesenho da área pública, iluminação com lâmpadas de LED e paisagismo também compuseram o novo visual das quadras.

     

    Por meio de um convênio, a Terracap e a Secretaria de Obras e Infraestrutura darão continuidade às obras de revitalização da W3 Sul. Ao todo, serão 11 quadras restauradas. Com o investimento de R$ 18,8 milhões feito pela Terracap, será possível fazer a readequação do sistema viário com estacionamentos, acessibilidade e paisagismo, além de obras complementares de drenagem e sinalização das quadras.

    Além de organizar o espaço público, as obras irão trazer mais conforto e caminhabilidade aos pedestres, permitindo que a população possa, novamente, ter uma experiência prazerosa de lazer, convivência e consumo, pela via comercial da W3

    As primeiras quadras a receberem a revitalização são as quadras 515/516 sul. 

    2020-07-17 18:52:16 - Cartilhas
  • Venda de lotes vai beneficiar mais de 10 mil pessoas

     

    Para fortalecer o direito à moradia para a população, a Agência de Desenvolvimento do DF (Terracap) iniciará os procedimentos, em 12 de agosto, da licitação para venda da área denominada Centro Urbano, perímetro urbano localizado no Recanto das Emas com potencial populacional estimado em mais de 10 mil habitantes. São 551 lotes agrupados em um único item. A medida integra o programa Habita Brasília e representa mais uma importante ação do GDF em termos de política de enfrentamento ao déficit habitacional naquela região administrativa e, de forma geral, na capital do país e nas demais cidades do Entorno.

    A licitação é voltada para pessoas jurídicas, cujo lance arrematará todos os lotes de uma única vez. O licitante vencedor – aquele que ofertar o maior valor pelo item – será também o responsável pela implantação de toda a obra de infraestrutura, interna e externa, da área que adquirir.

    O custo por tal investimento, já orçado pela Terracap, foi abatido do valor de venda dos imóveis. Isso permitirá com que a obra necessária para a implementação do loteamento seja concluída com mais celeridade, o que ajudará a consolidar ainda mais a região administrativa. A caução deve, impreterivelmente, ser executada até o dia 11 de agosto.

    Novo modelo

    Diretor comercial da Terracap, Júlio César de Azevedo Reis destaca que a licitação representa um modelo novo de negócio, “que proporcionará investimentos de grande porte na cidade, gerando emprego e renda”. “E, além disso, possibilitando a oferta pela iniciativa privada de milhares de unidades habitacionais, que serão oferecidas de acordo com as normas do Programa Habitacional do Distrito Federal”, destaca Júlio.

    Presidente da Terracap, Izidio Santos explica que a área foi pensada para proporcionar qualidade de vida aos futuros moradores e, também, “uma excelente opção de investimento às empresas interessadas em ofertar moradias de qualidade dentro das faixas de renda atendidas pelo Programa Habitacional do Distrito Federal”. “É a Terracap investindo em desenvolvimento e melhorias por todo o DF”, enfatizou o dirigente.

    Os lotes ofertados têm uso misto, ou seja, comercial e residencial, em que a responsabilidade de ofertar as unidades habitacionais, de acordo com as Normas do Programa Habitacional, é sempre do adquirente. O licitante deve, ainda, reservar 25% das unidades a serem ofertadas, prioritariamente, aos habilitados e indicados, respeitando-se a lista da Companhia de Desenvolvimento Habitacional (Codhab-DF), desde que os beneficiários não possuam pendências que inviabilizem a concretização do negócio.

    Todas as informações necessárias podem ser acessadas por meio do site da Terracap, no campo “Compre Imóveis – Editais – Habita”.

    Centro Urbano

    O Centro Urbano – Recanto das Emas/DF compreende uma área com aproximadamente 42 hectares, localizada na zona central da cidade. A área foi planejada para ser servida por transporte público em seu perímetro e equipamentos públicos como fórum, ginásio, campo de futebol, pista de skate, auditório e restaurante comunitário, entre outros.

     

    O dimensionamento do seu sistema viário foi projetado priorizando-se os deslocamentos a pé ou em bicicleta, com um projeto urbanístico moderno que contempla milhares de unidades em habitação coletiva, centenas em casas sobrepostas. O modelo também oferece extensas áreas comerciais.

    O projeto de parcelamento do Centro Urbano procurou incorporar tipologias que atendam às diferentes formas de oferta de moradia, estruturadas pelo Programa Habita Brasília, sem perder as características paisagísticas intrínsecas de um Centro Urbano. Assim, a proposta do quarteirão residencial conta com prédios de habitação coletiva, com alturas entre 4 e 6 pavimentos. Já o interior oferece lotes para casas sobrepostas e lotes unifamiliares, praças e ruas compartilhadas, destinadas prioritariamente a pedestres e ciclistas.

    Gerente comercial da Terracap, Marcelo Fagundes explica se tratar de conceito que “mantém a paisagem de uma centralidade a partir das principais vias estruturadoras do parcelamento, resguardando o interior do quarteirão como um espaço eminentemente residencial, calmo e dedicado aos moradores”.

    2020-07-15 20:17:51 - Cartilhas
  • Pelo menos uma obra tem sido iniciada ou concluída a cada 36h

    Embora tenha afetado diversos setores, a pandemia causada pelo novo coronavírus (Covid-19) não parou as obras no Distrito Federal. Prova disso é que desde a chegada do vírus à capital – o primeiro caso foi confirmado em 7 de março –, pelo menos uma obra foi iniciada ou finalizada a cada 36 horas no DF.

    “A continuidade e até o início das obras foram determinações do governador Ibaneis Rocha, como forma de não parar a economia durante a grave pandemia da covid-19. Milhares de empregos foram preservados e, deve-se destacar, com toda segurança, porque foi obedecido um rígido protocolo de higiene e preservação pessoal”, lembra o Secretário de Governo, José Humberto Pires.

    A Agência Brasília fez um levantamento dessas obras que reforçam o compromisso do governo local em não deixar a cidade parar. Para o cálculo da reportagem foram utilizadas as intervenções feitas pelos principais tocadores de obras no DF: Secretaria de Obras, Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap), Agência de Desenvolvimento (Terracap) e Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER/DF). Entre 7 de março e 30 de junho foram executados pelo menos 74 serviços em todo o DF.
    A Secretaria de Obras, por exemplo, iniciou em março a obra de revitalização das quadras 509 e 510 da W3 Sul. Com investimento de R$ 2,3 milhões, estão sendo feitos a revitalização dos becos, recuperação e troca de piso das calçadas existentes, reorganização dos estacionamentos e arborização e paisagismo.
    A pasta também deu início à execução dos desvios de trânsito necessários para a construção do Túnel de Taguatinga. Os desvios são essenciais para que o túnel possa ser feito.

    A ligação subterrânea terá investimento de R$ 275,5 milhões e vai resolver o trânsito de uma região por onde trafegam mais de 135 mil veículos por dia.

    Na DF-290, a drenagem do km 4 em Santa Maria também começou durante a pandemia. E para os próximos dias, está previsto o início da construção do viaduto na Estrada Setor Policial Militar (ESPM), no trecho localizado entre o Quartel do Comando Geral da Polícia Militar e o Terminal da Asa Sul (TAS).
    “Mesmo com a pandemia estamos trabalhando para manter nossos contratos em atividade. Esse é um momento especial em função da época da seca. Nossos trabalhos têm uma velocidade maior de execução. Tem sido uma tarefa difícil em função da pandemia, mas desde o início foi uma demanda do governador Ibaneis Rocha para que a gente pudesse acelerar as obras para manter a cidade funcionando”, afirma o secretário de Obras, Luciano Carvalho.

    Novacap a todo o vapor

    Outra grande tocadora de obras, a Novacap teve uma grande colaboração para o DF não parar. A companhia é responsável por dezenas de reparos e construções em diferentes regiões administrativas como a construção de quatro bacias de contenção no Aterro Sanitário de Samambaia e a edificação de quatro Unidades Básicas de Saúde (UBSs) no Jardins Mangueiral, Paranoá Parque, Vale do Amanhecer e QNR 02 em Ceilândia.

    A revitalização das tesourinhas nas Asas Sul e Norte no Plano Piloto e a inauguração da Praça dos Estados também marcam a agenda de compromissos da Novacap.

    Além destas e outras obras, a Novacap realiza, diariamente, serviços de manutenção de vias, limpeza e manutenção de bocas de lobo e de toda rede de drenagem pluvial. Também está em andamento a construção de novas calçadas, com acessibilidade, em todo o DF. “A Novacap bateu recordes seguidos na produção de asfalto, está presente em todas as regiões do DF e cumpre um papel essencial na manutenção dos bens públicos. Nesse período da crise, nós aproveitamos para acelerar algumas obras, aproveitando o menor fluxo de pessoas e veículos, apoiando as administrações regionais, para dar mais conforto a toda a população”, diz o presidente da empresa, Fernando Leite.


    Mais obras

    O Departamento de Estradas de Rodagem do DF (DER/DF) também tem grande colaboração em todo esse processo. Foi responsável pela importante revitalização do Eixão, o estacionamento do campus Gama da Universidade de Brasília (UnB), a troca de pavimento no BRT Sul, na altura do aeroporto, e também as duas faixas de rolamento na DF-047 entre a Estrada Parque Dom Bosco (EPDB/ DF-025) e a Estrada Parque Guará (EPGU/ DF-051).

    “O DER é um órgão executor de obras e de manutenção viária. Mesmo em meio à pandemia do novo coronavírus não pudemos deixar de trabalhar nas rodovias. Obviamente, reduzimos o número de servidores nas ruas, porque alguns fazem parte do grupo de risco, mas mesmo com essa redução, tanto nas obras contratadas quanto nas diretas conseguimos manter o ritmo dos trabalhos”, destaca Cristiano Cavalcante, superintendente de obras do DER/DF.

    A Terracap, por sua vez, iniciou a implantação de infraestrutura de energia elétrica no Noroeste. O trabalho consiste na elaboração de projetos executivos e ensaios técnicos para a efetiva instalação de infraestrutura de energia elétrica nas quadras SQNW 103, SQNW 106, SQNW 107, SQNW 307, CLNW 10/11 e SQNW 311. O investimento é de R$ 231 mil e o prazo de conclusão para novembro.

    Também foi assinado, durante a pandemia, o termo de adesão com a Companhia de Desenvolvimento Habitacional (Codhab) para obras no Riacho Fundo II. Com investimento de R$ 9,5 milhões, será implantada rede de água e esgotamento sanitário no Projeto Habitacional da 3ª Etapa do Riacho Fundo II.

    A Terracap concluiu uma obra importante em julho: a construção de residências populares para atendimento das comunidades indígenas Kariri-Xocó e Tuxá, no Noroeste. As casas foram construídas após um acordo para que as comunidades indígenas fossem transferidas a uma nova área dentro do próprio Noroeste. A construção dessas casas é essencial para que a Avenida W9 possa ser erguida na região.

    Izidio Santos, presidente da Terracap, diz que a agência de desenvolvimento investiu em novos projetos e obras durante a pandemia e avançou ainda mais em outros que já estavam em andamento. “Os recursos arrecadados com venda de terrenos pela Terracap se transformam em obras e realizações que melhoram a vida em todo o DF, como o investimento em infraestrutura e tecnologia”.

    Izidio comenta, ainda, que mesmo durante a pandemia a construção civil não parou. “A grande aposta com a retomada é justamente o investimento em obras, que emprega mais e mais rápido. É a aposta do governo no combate ao desemprego gerado pela pandemia: o investimento em obras”, acrescentou.

    *Com informações da Agência Brasília 

    2020-07-12 13:26:59 - Sem Categoria
  • Demarcação de Lotes para Particulares e Órgãos Públicos

    A demarcação serve para determinar os limites de seu terreno, e é necessária para obter o alvará de construção junto à Central de Aprovação de Projetos – CAP. Depois de realizada a demarcação é expedida uma Declaração de Demarcação que é enviada ao e-mail do solicitante.

    Cliente: Pessoa física ou jurídica.

    Prazo para realização do serviço: em até 21 dias úteis contados a partir da data de pagamento da taxa de demarcação (considerando a compensação bancária).

    Documentação necessária:

    • Documentos pessoais (RG e CPF ou CNPJ);
    • Escritura ou Contrato de compra ou Contrato de Concessão ou Certidão de Ônus do imóvel; (Para imóvel sem registro que seja objeto de contrato com a Terracap, apresentar o Termo de ocupação e a planta).

    Valor do Serviço: Valor calculado pela área do lote, a partir de R$431,67 (quatrocentos e trinta e um reais e sessenta e sete centavos). Não emitimos segunda via. Em acaso de extravio, é cobrado pela realização de novo serviço. Valor atualizado em janeiro de cada ano e disponível no link: https://www.terracap.df.gov.br/index.php/listagem-faq/37-assuntos-diversos/77-como-faco-para-demarcar-o-meu-terreno

     

    Como acessar: Utilize o requerimento online disponível em nossas plataformas virtuais listadas abaixo.

    Atendimento virtual:  https://servicosonline.terracap.df.gov.br/

    Atendimento via App:

    Atendimento presencial:  Gerência de Atendimento ao Cliente – GEATE das: 7h às 19h em dias úteis

    2020-06-29 20:30:28 - Sem Categoria

Chat On-line